• Home
  • Notícias
  • Crédito: redes permitem que empreendedor financie uma franquia
Crédito: redes permitem que empreendedor financie uma franquia
Freepik

Crédito: redes permitem que empreendedor financie uma franquia

A taxa básica de juros – Selic, em menor patamar histórico de 6,5% ao mês, a melhora gradativa dos indicadores econômicos e o começo de uma retomada de otimismo por parte dos empresários, faz com que a concessão de crédito volte a crescer no País.

Segundo dados divulgados pelo Serasa Experian, em abril houve uma alta de 5,7% na procura por crédito. No quadrimestre, esse incremento foi no mesmo patamar, de 5,7%, sendo que as micro e pequenas empresas foram as que mais recorreram ao crédito, com crescimento de demanda de 5,9% no mês de abril.  Nas médias empresas houve aumento, porém menor, de 2,4%.

Tais números comprovam que recorrer aos bancos e financiadoras para alavancar os negócios é importante, basta ter consciência de que esse dinheiro, além de bem empregado na operação, deve ser ressarcido à instituição financeira.

Diversas instituições ofertam crédito, sendo esse financiamento para todos os setores que movimentam a economia, que inclui o segmento de franquias. Ao Universo Franchising, a Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista, que é uma instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo, o setor procura pelo canal para ampliar seus negócios. Nos três primeiros meses deste ano, a instituição emprestou R$ 1,4 milhão só para este nicho de mercado.

De 2011 até os dias atuais, foram desembolsados R$ 55 milhões para o segmento, sendo que a maior parte deste recurso, ou seja, 86% dele foram destinados às franquias que atuam com serviços. “Comércio e Indústria aparecem na sequência com 12% e 2%, respectivamente. Até o momento, a Região Metropolitana de São Paulo é responsável por 54,9% dos desembolsos. Entre as principais atividades financiadas estão: Hotéis (49,8%), Parques de Diversões e Temáticos (18,3%), Lanchonetes (8,6 %) e Restaurantes (5,8%)”, informou a Desenvolve SP.

Contar com o apoio das instituições financeiras é bom e isso tem sido estudado dentro das redes de franquias que atuam pelo Brasil. Hoje, diversas franqueadoras permitem que seu franqueado adquira uma operação por meio de financiamento. E há também as que permitem o parcelamento do valor.

Na opinião de Janete Cozer, máster franqueada da rede Não+Pêlo no Rio de Janeiro, possibilitar aos empreendedores o financiamento para aquisição de uma unidade, fomenta o setor como um todo e beneficia as franqueadoras. “É fácil identificar o número crescente de empreendedores com medo de aplicar todo o capital em um único investimento. Eles procuram por outras possibilidades, analisam diversos mercados antes de tomar a decisão final”, disse a empresária em entrevista ao Universo Franchising.

Janete explicou que, por mais que a franqueadora permita a concessão de crédito, isso não facilita ao empreendedor a conseguir tal recurso. “Tudo é analisado pela instituição financeira, pois a concessão de crédito pode trazer riscos a operação e é justamente neste ponto que muitos são barrados e não conseguem o financiamento”.

A empresária enfatizou que os bancos que oferecem este tipo de financiamento fazem uma análise criteriosa do candidato à franquia. Após passaram pelo filtro da franqueadora, que para a aquisição de uma unidade precisa ter aptidão para o mercado de estética e para a venda consultiva, o candidato interessado e que pretende fechar o negócio por meio de financiamento, passa pela análise de crédito da instituição financeira. “O banco vai verificar a capacidade de pagamento deste candidato, se existe outra fonte de renda além do negócio de interesse, identificar uma garantia para esse empréstimo e demais fatores antes da concessão”, disse Janete. Para ela, essa análise minuciosa do empreendedor é que torna essa concessão de crédito mais segura à marca.

Parcelamento

Outra forma de conseguir adentrar no franchising é o parcelamento da taxa de franquia, que no caso do Grupo Master House é ofertado aos candidatos.  Segundo o diretor de expansão do grupo, Diego Cavalcanti, a iniciativa é recente, sendo empregada na rede em março deste ano. “A iniciativa surgiu após a identificação de diversos candidatos com o perfil desejado pela empresa não terem o valor total do investimento”, explicou.

O executivo informou que a medida é parte da estratégia de crescimento das marcas do grupo – Master House e Mister Fix – que prefere financiar o candidato adequado para operação, do que apostar em investidores sem conhecimento no setor. “Preocupamos-nos em atuar com quem terá sucesso na operação”.

Para isso a rede passou a parcelar em 12 vezes a taxa de franquia das duas marcas. “Aos empreendedores que não têm cartão de crédito ou limite no mesmo, disponibilizamos o parcelamento do investimento por meio do PagSeguro”, apontou Cavalcanti.

A rede tem sondado ainda parceria com fintechs para ampliar a possibilidade e conseguir ter junto à rede, franqueados qualificados e que entendem do segmento de construção e reparos. “Temos duas fintechs interessadas no segmento. Após o processo de seleção da franqueadora, indicamos aos candidatos que procurem essas empresas para conseguir o financiamento do valor”, concluiu o executivo.

Essas não são as únicas redes que facilitam a vida dos empreendedores. O setor conta com diversas redes abertas ao financiamento. Confira:

Champion Empada & Café

Com investimento inicial: a partir de R$ 100 mil  para quiosque  e de R$ 150 mil  para loja, a Champion Empada & Café analisa a possibilidade de os candidatos financiarem a aquisição da operação.

Mundo Cheff

A rede que atua com a comercialização de utensílios de cozinha tem o nome de Raul Lemos como sócio da operação. O interessado deve desembolsar R$ 180 mil para aquisição de uma unidade, valor esse que pode ser parcelado em até seis meses.

Banneg-Banco de Negócios

A franquia especializada em consórcios e financiamentos permitem o financiamento de 100% da operação e conta com parceria de 20 instituições financeiras.

Rei do Escondidinho

A franquia Rei do Escondidinho tem parceria com o banco Santander para o financiamento e aquisição de uma operação.

Água Doce e Água Doce Express

As duas operações permitem que o interessado financie a aquisição da operação junto ao Santander.

Mania de Passar

a rede fechou uma parceria com a Creditas, uma plataforma de crédito que atua como parceira de bancos, investidores e clientes. Com isso, o interessado pode adquirir uma franquia da rede com a possibilidade de parcelar o valor total em até 48x através da plataforma.

BonaSecco

A rede de lavanderias BonaSecco – que lançou o primeiro sistema conjugado com ponto de coleta do Brasil e conta com 37 unidades, em 11 Estados brasileiros – é uma das marcas que oferece a possibilidade de financiamento para os interessados em adquirir uma franquia da marca. Para os candidatos que não dispõem de todo o capital necessário, a rede em parceria com instituições bancárias possibilita financiamento que varia de 50% a 80% do valor total de investimento.

Doctor Feet

rede conta com o apoio da Biva, empresa do grupo UOL PagSeguro, que passou a financiar o investimento dos franqueados em novas lojas, bem como o capital de giro.

Mestre-Cervejeiro.com

A rede Mestre-Cervejeiro.com oferece ao mercado três formatos de franquias: loja, container e quiosque. Assim como as demais redes mencionadas nesta matéria, a franqueadora permite que o investidor financie a aquisição da operação. A loja tem investimento de R$ 150 mil, container R$ 120 mil e quiosque, com investimento de R$ 80 mil.

Chocolateria Brasileira

A Chocolateria Brasileira também permite a aquisição de uma unidade por meio de financiamento. A rede oferta três formatos de franquia: loja com investimento de R$ 195 mil, quiosques com investimento de R$ 39 mil até R$ 99 mil e a possibilidade da venda de chocolates em sistema de venda direta.

Pello Menos

A rede de depilação Pello Menos firmou parceria com o Bradesco Franquias para ajudar os potenciais investidores na aquisição de unidades da rede.

Essas são algumas das redes que permitem a aquisição de uma franquia por meio de um financiamento. Vale ressaltar que o crédito ainda tem custo alto no Brasil e que antes de se endividar, analise todas as possibilidades junto as franqueadoras.

Por Flávia Milhassi Denone, do Universo Franchising

Quer saber tudo sobre o mundo das franquias? Fique atento as novidades do Universo Franchising