• Home
  • Notícias
  • Copa do Mundo anima as micro e pequenas empresas
Copa do Mundo anima as micro e pequenas empresas
Freepik

Copa do Mundo anima as micro e pequenas empresas

A Copa do Mundo 2018 está prestes a começar e 33% de micro e pequenos empresários do varejo acreditam que o evento pode aumentar as vendas do comércio. Segundo dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), souvenirs (80%), comércio eletrônico (72%), bares e restaurantes (68%) são os segmentos que mais podem ter aquecimento nas vendas.

Leia mais: Copa do Mundo: franquias devem ter cuidado com o uso da marca

Para o presidente da  Federação de Câmaras Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP), Mauricio Stainoff, além dos setores mencionados, o grande varejo também pode sentir os efeitos positivos da Copa do Mundo. “O aquecimento no comércio eletrônico, por exemplo, pode ser influenciado pela compra de televisores. Estes equipamentos acabam se destacando nesta época”, explica. “Bares e restaurantes sempre são ótimos pontos de encontro para as pessoas, inclusive, os próprios estabelecimentos já se preparam para receber uma clientela maior do que o de costume. As pessoas gostam de celebrar”, completa.

Supermercado, comércio informal e transporte também estão entre os setores que mais terão aumento de vendas entre junho e julho. “São setores que de alguma forma, fazem do evento uma oportunidade de negócio, atraindo cada vez mais os consumidores, principalmente, porque oferecem promoções”, afirma Stainoff. Segundo a pesquisa, comércio eletrônico pode lucrar 57% mais e transporte 51%.

O que ainda pode determinar mais crescimento para o varejo neste período, é o avanço da seleção brasileira no mundial. “A medida que o Brasil avança na competição, a euforia do brasileiro também aumenta e vem o desejo de consumir produtos ligados ao evento ou mesmo se reunir com familiares e amigos para comemorar. Tudo acaba estimulando o consumo”, explica o presidente da FCDLESP.

Varejo paulista

Para Mauricio Stainoff, o varejo paulista se destaca entre as capitais da região sudeste pelo forte comércio popular, que deve ter um aumento de 20% entre junho e julho. “Além da Copa do Mundo, o período se torna mais positivo, pois também tem datas significativas como o Dia dos Namorados e período de festas juninas. São três datas que podem alavancar as vendas”, explica.

Leia mais: Seis dicas para atrair clientes mesmo com a crise econômica

Por Redação, do Universo Franchising.

Quer saber tudo sobre o mundo das franquias? Fique atento as novidades do Universo Franchising.